Este blog destina-se aos alunos da minha escola puderem transmitir informações, entrevistas, reportagens e outras notícias relacionadas com as ciências, o ambiente...

sexta-feira, janeiro 26, 2007

A RESPIRAÇÃO DO HOMEM E... DAS BALEIAS!

A propósito do estudo da respiração humana, recentemente abordada na disciplina de Ciências da Natureza, certamente se lembrarão das diferenças entre o ar inspirado e o ar expirado, que provam que o ar que entra para os pulmões já não é o mesmo que sai: na verdade, o ar inspirado é modificado pela hematose pulmonar, saindo assim o ar expirado com mais dióxido de carbono e menos oxigénio, para além de aquecido e saturado de vapor de água. Mas, essa modificação ou substituição acontece apenas em cerca de 30% do volume de ar que entra, já que os pulmões humanos não têm capacidade para utilizar mais em cada inspiração. Porém, por exemplo as baleias – que apesar de viverem em meio aquático são mamíferos, respirando por pulmões – já conseguem substituir 90% do ar existente nos seus pulmões após cada inspiração: isso permite que se mantenham submersas durante cerca de 20 minutos e mergulhar até 300 metros de profundidade. Claro que isto é no comum das baleias, pois há grandes diferenças entre as várias espécies: o cachalote gigante, por exemplo, desce até aos mil metros de profundidade e aguenta hora e meia submerso! Tal porque, para além do tamanho e capacidade dos seus pulmões, tem um volume de sangue maior que qualquer outro mamífero e, durante o tempo em que as baleias estão debaixo de água, somente o cérebro recebe a quantidade habitual de oxigénio, poupando assim muito deste gás na respiração celular: logo, o oxigénio que foi absorvido nos pulmões é sobretudo canalizado pelo sangue para a cabeça das baleias e só as células cerebrais o utilizam normalmente, pelo que a sua quantidade mantém-se elevada na corrente sanguínea, facultando assim um imenso tempo de imersão! Coisa que o homem não consegue, com pulmões bem mais pequenos que as baleias, a aproveitar apenas 30% do ar inspirado e a gastar continuamente o oxigénio na libertação da energia dos nutrientes necessária à vida de todas as células vivas do corpo.... e tu, na natação, quanto tempo consegues aguentar debaixo de água?!....

terça-feira, janeiro 16, 2007

A POUPAR ÁGUA

Não choveu no Inverno. As barragens que servem como reservatórios de água estão muito abaixo do nível necessário. Devemos tomar medidas especiais para que a água, que é um bem sem o qual não se pode viver, chegue para todos.
Por isso, aqui estão algumas medidas a tomar:
- O banho deve ser um duche rápido: molha o corpo, fecha a água, ensaboa, passa água, fecha.
- em caso de seca, apanha-se para um balde a água do duche, enquanto ela não está quente, para outras utilizações (regar as plantas, por exemplo).
- Ao lavar os dentes, também se fecha a água enquanto se escovam, ou então, retira a água necessária para um copo.
- As torneiras devem estar sempre bem fechadas. Se pingarem, devem ser arranjadas.
-Para lavar a loiça, o ideal é ter duas vasilhas: uma com detergente, outra com água limpa para passar. As máquinas só se ligam quando estão cheias (de loiça ou roupa).
- As plantas só se devem regar quando está mais fresco: à noite ou de manhã cedo.
A FALTA DE ÁGUA NO MUNDO
Há já 30 anos que a Organização das Nações Unidas (ONU) fala do problema da falta de água potável. Nos próximos dez anos vamos precisar de mais água do que aquela que vai estar disponível.
Toda a água que existe, para além de poder acabar, também não está bem dividida. Enquanto em alguns países existe água em abundância, noutros há cada vez menos.
SEM ÁGUA NÃO EXISTIA VIDA
Mais de metade do corpo de um mbebé, acabado de nascer, é formado por água. Desde pequeno tem de se habituar a beber muita água para que o seu corpo não sinta falta dela. poderá morrer se perder menos de 15% de água. Se não o fizer também o seu corpo irá envelhecer mais rápido.
Na alimentação a água também é muito importante. Os legumes e frutas, que comemos todos os dias, têm muita quantidade de água.
Todos os dias utilizamos água em muitas das coisas do nosso dia-a-dia: alimentação, higiene pessoal e muitas outras coisas.
É bom nunca esquecer: A ÁGUA Á VIDA!!!
O crescimento do próprio homem depende da água de boa qualidade.
Temos de manter a Natureza limpa e assim poderemos viver melhor e com mais qualidade.
Alexandra Santos Nº 1 5ºA

quinta-feira, novembro 30, 2006

RELAÇÃO ENTRE DIGESTÃO E AFOGAMENTO...



A propósito do estudo da Alimentação Humana e do Sistema Digestivo recentemente feito em Ciências da Natureza (6.º Ano), julgo ser interessante esclarecer aqui os fundamentos de um regra de higiene da digestão que todas as pessoas conhecem: «Não tomar banho depois das refeições».
Por que razão tal facto, sobretudo se a água estiver a uma temperatura inferior à do nosso corpo?
A digestão dos alimentos no estômago e intestino delgado faz afluir a estes dois órgãos grande quantidade de sangue. Ora, se uma pessoa entra na água na altura em que a digestão se está a fazer, o sangue aflui não só às regiões do estômago e intestino mas também à pele e aos músculos, ou melhor, a todo o corpo que entrou em contacto com a água fria. Assim, devido a uma diminuição de temperatura corporal provocada precisamente pela água, o sangue acorre em quantidade a essas partes do corpo que arrefeceram, a fim de aí se restabelecer novamente a temperatura normal do organismo, e que é necessária para que as células desempenhem a s suas funções.
Então, devido à afluência excessiva de sangue a essas zonas, fica a região da cabeça ou cérebro sem a abundante irrigação sanguínea de que necessita e que lhe é característica, já que o sangue foi “desviado” para outras partes do corpo: deste modo, sem a conveniente irrigação do cérebro, a pessoa “perde os sentidos” e, como está na água, pode morrer por afogamento.
Esta é a relação que há entre o fenómeno da digestão e o afogamento, popularmente conhecida por “congestão alimentar”, precisamente porque a palavra “congestão” significa a acumulação excessiva de sangue nos vasos sanguíneos de um tecido ou órgão.
Claro que se a água estiver aquecida, próxima da temperatura corporal normal, criam-se condições para que os factos que vêm sendo explicitados não aconteçam do mesmo modo e, por consequência, o perigo do banho depois de comer é bastante atenuado: todavia, lembro-vos ser de todo conveniente esperar cerca de três horas para que se complete a digestão e, depois sim, tomar banho com toda a segurança. Mais vale prevenir!....

sexta-feira, novembro 24, 2006

CASTANHEIRO

É uma árvore de grande porte e de grande longevidade, podendo atingir mais de mil anos.
A espécie mais importante em Portugal é a Castanea sativa. Existem dois tipos de castanheiro - o bravo e o manso. O primeiro utiliza-se para a produção de madeira e a cujo povoamente se dá o nome de "castinçal" e o segundo para a produção de castanhas, tomando o nome de "souto" o seu aglomerado.
Em Portugal continental a sua presença está confinada essencialmente no Norte do país.
Após a chegada da batata e do milho à Europa, durante a época dos descobrimentos,a importância da castanha na alimentação foi decrescendo,mas ainda é muito apreciada pelos portugueses.


A castanha